25 fevereiro, 2007

O Primo Prêmio Nobel

Semana passada estava falando com meu pai sobre uma 'prima' que me descobriu na internet. Na verdade ela descobriu o primo Agnor Gurgel, que possui uma árvore genealógica da família Gurgel na internet. A prima Fafá (não confundir com a Tia Fafá) queria saber notícias de um primo do meu pai que eu conheci a algum tempo atrás em Salvador. Depois que encaminhei o email pro meu pai, ele me explicou o parentesco.

A prima Fafá é casada com Claudemir, que é filho de Mirinha, que é prima da vovó Nenêm, mãe do meu pai. Até ai acho que tá fácil de entender as relações de parentesco, não é? Mas agoa é que a história começa a ficar mais interessante. O Claudemir, tinha uma irmã fantástica, que infelizmente veio a falecer em 2004. O nome dela era Dra Ana Maria Comaru-Schally, uma médica endocrinologista extremamente competente, que viajou o mundo fazendo importantes pesquisas médicas. A prima Ana Maria casou-se com o Dr Andrew V. Schally, um dos ganhadores do prêmio Nobel de Medicina de 1977 (ano que nasci).

O Dr e a Dra Schally visitavam regularmente o Brasil e, em uma destas oportunidades o Tio Gil foi visitá-los com a tia Marta em Fortaleza, se não me engano. Depois de muita conversa tio Gil e tia Marta resolveram ir embora. Como se diz em Fortaleza, o carro 'deu prego' e não pegava de jeito nenhum. A tia Marta sentou no volante e o tio Gil começou a empurrar o carro. Logo depois o Primo Prêmio Nobel estava ao seu lado, também empurrando o carro, que, finalmente pegou.

O 'primo' Dr Schally tem uma biografia muito interessante. Ele nasceu na Áustria, fugiu pra Romênia duante a 2a Guerra e depois foi pra Inglaterra, Canadá e EUA. Não vou nem tentar colocar aqui o resumo da história, mas ela está disponível no site oficial do prêmio Nobel.

Quanto a 'prima' Dra Ana Maria vou reproduzir aqui um trecho de uma carta que o Dr Schally escreveu quando da sua morte em 2004, que resume bem a sua competência:

"Ela era uma endocrinologista de altíssima reputação, autora de inúmeros artigos médicos e sua perícia em endocrinologia era muito admirada. A 35 anos atrás, quando ela ainda estudava medicina no Brasil, ela diagnosticou seu próprio nódulo na tireóide e marcou a cirurgia com seus professores."

A belíssima carta que o Dr Schally escreveu pode ser lida no site da Associação dos Ex-Alunos do Instituto Estadual de Diabetes e Endocrinologia Luiz Capriglione (ASSEX - IEDE)

3 comentários:

Anônimo disse...

Leo,

Tem mais uma coisa para acrescentar no curriculum do Dr. Schally. Segundo sua prima Fafa, ele morava em New Orleans e foi vitima do furacâo Katrina tendo perdido tudo, e agora mora em Miami.
Não sei bem o tudo que ele perdeu, mas de qualquer forma foi mais um fato importante da sua vida.
Você podia tambem colocar a foto deles que está na carta.

Marconi

Marcelo Dutra disse...

Caro Leo
Sempre muito interessantes seus comentários e seus escritos. Vejo que ultimamente o assunto Genealogia faz parte de seus interesses.
Eu pouco teria a acrescentar ao que você já falou no seu blog. Posso confirmar tudo o que foi dito, por conhecer mais ou menos a história toda. Apenas acrescento que a tia Mirinha, que era prima da minha mãe, também era irmã de criação, já que morou na casa do vovô Minan em Caraúbas e era considerada como irmã mesmo.
Tenho um exemplar do livro sobre a família Gurgel, onde aparece toda a genealogia que você apresentou e mais umas coisinhas.
Com seu interesse e seu jeito de escrever acho que está pintando um futuro escritor das memórias da família. Vá em frente!!!
Abraços...Marcelo

Sheila disse...

Ta vendo Leo, se seu "primo" conseguiu ganhar o Nobel, você tambem pode!!
Adorei a historia.
Beijo