11 dezembro, 2005

Chegada no Timor Leste

Chegamos em Dili ontem depois de uma longa viagem que comecou de trem e terminou de topic. No caminho tivemos um probleminha com um voo. O %$@#^%$#%^@# do agente de viagem marcou o trecho Sydney-Darwin na noite do dia 10/12 ao inves do dia 09/12 e a companhia aerea nao quis trocar a gente. Entao compramos uma outra pasagem em outra companhia e o voo ja estava saindo. Foi uma correria tipica do Gordo, mas no final das contas o voo foi melhor porque foi direto, sem escalas...

Esperamso 8 horas no aeroporto de Darwin, entre 22:45 e 6 da manha. Depois pegamos um aviao Brasilia, 'made in BRazil' e chegamos em seguranca em Dili as 8:30 mais ou menos, mas a gente nao tem muita ideia od fuso porque tem diferenca de 1:30h entre Sydney e Darwin e depois mais 30 minutos entre Darwin e Dili. Como nao tinhamos o endereco do 'Tio Ze', o tio da amiga da gente que esta nos alugando o puxadinho, tivemos que ligar pra ele de um celular no aerporto, ja que tgelefone publico eh algo inexistente por aqui. A ligacao custou US$5.00, por isso habilitamos um celular que pegamos emprestado na Australia. O nosso numero eh o seguinte: 00 xx 670 729 0271

O Tio Ze e a Tia Milu, nossos anfitrioes estao nos tratando muito bem. Ontem tia Milu fez um peixe grelhado, tipica receita Timorense, acopanhado de flor de mamao frita com alho e manteiga, achamos nos, porque ela nao conta nem a pau. Tentamos ate dormir depois do almoco, mas deve ter feito uns 55 graus dentro do quarto. Ai, antes de perder a consciencia, tomamos um banho e o Tio Ze nos levou pra passear em Dili. Fomos no Cristo Rei, que eh os egundo maior cristo do mundo, perdendo so pro Cristo Redentor. Deve ser coisa dos portugueses esse negocio de Cristo, ja que o timor foi colonizado por eles tambem.

A noite saimos pra caminhar na orla maritima de Dili. Primeiro tentamos comprar um prato tipico de bolinho de arroz. Nao conseguimos na prfimeira tentativa por falta de competencia linguistica de nossa parte. Mas ele falou em indonesio e nao em Tetun. So na segunda tentativa conseguimos comprar o quitute, com ajuda do agente da alfandega que nos atendeu no aeroporto de manha. O nome dele eh Antunes e o encontramos por acaso com toda a sua familia nessa barraquinha. Entao ele nso ajudou com a traducao e explicou como eh que pede milho assado com bolinho de arroz. Comemos bem e a conta total da noite foi de US$0.70 pelo jantar dos dois. Ah que saudade de comer barato e no meio da rua!

Agora vamos tentar fazer snorkel embaixo do Cristo Rei. Parece que o mergulho vai ser bom. A agua eh cristalina e os recifes sao bem perto da praia.

Vamos postar as fotos assim que pudermos.

Beijos a todos,

Leo e Manu

7 comentários:

igordutra disse...

Tá vendo... não é só eu que perco aviões agora. Vcs estao na capital ou estao na roça? não entendi exatamente onde voces estao. Os tios estao na casa com vocês? Como fica a lua de mel? tem papel higienico? onde vcs acessam internet? talvez eu ligue do skype pra perguntar essas curiosidades. o cara chamado antunes não fala portugues??? contem esses detalhes, estou muito curioso.

Anônimo disse...

Leo e Manu,
Agota voces nao podem mais falar de Igor que toda hora perde o harario do voo.
55 Graus centigrados e dentro do quarto? Parece estoria de Remio.
So enviando foto do termometro, afinal pelo que sabemos aí nao e regiao de deserto.
Estamos aguardando as fotos dp passeio e das curiosidades da cidade, pois quem sabe poderemos sugerir aqui nas agencias de viagem o novo roteiro turistico para os brasileiros.

Marconi

Anônimo disse...

Viva Remoso!
Mô primo! A sunga ficou perfeita, embora seja do modelo "itaparica"... O CD está fazendo o maior sucesso, especialmente a parte que os brancos chegam na ilha!! Massa! Adorei e para retribuir a altura, estou tentando gravar o chamado das muriçocas em frenesi sexual, aguarde!
Venha cá... você não vai mergulhar não, é? Francamente...
Ói, a garoupa é da tribo Epinephelini, o tubarão é um Carcharhinus sp., o Baiacu, um Arothron sp., o peixe-serra, um Pristis sp., que está extremamente ameaçado de extinção, ao ver novamente esse peixão, faça mais fotos!
Muitos beijos para vocês,
Buia

marcia disse...

Leo e Manu, so hoje encontrei vcs aqui. Fiquei sabendo da viagem e achei muuuuito legal. É bom demais conhecer algo realmente diferente. E será mesmo mto diferete daqui hein?? o q lembra a terrinha aqui e o q é de fato diferente?? pobreza tem demais tanto aqui como aí, mas o bom é conhecer. Com certeza a viagem vai ser no minimo pitoresca, sem contar q quase ninguem sabe nada dai.
Pois é, aproveitem td q puderem e tenham um natal maravilhoso. beijo,tia marcia

Anônimo disse...

Leo,

Num passado não distante seu pai investiu na sua formação educando-o e olhando para o futuro.
Graças a esse gesto grandioso do meu fraternal amigo Dutra, hoje você é motivo de orgulho e admiração não só para a sua familia mas também para os seus amigos, entre os quais eu me incluo.
Parabéns.

Assis

Marcelo Dutra disse...

Meu caro Leo
Tô morrendo de inveja dessa viagem de vocês, apesar dos 55 graus no quarto (é mentira Terta?). Quanto a comunicação pensei que a lingua falada aí fosse o português. Foi o que sempre li e até vi reportagens na TV com entrevistas com moradores em nossa língua. A Lucélia Santos se diz muito conhecida aí, e vc poderia verificar se é verdade mesmo.
Aproveitem o máximo dessa viagem. E apesar dos próximos mergulhos não esqueça que está em lua de mel...
Beijos do tio Marcelo

Leo Dutra disse...

Gordo, estamos na capital do Timor Leste numa especie de apartamentyo que alugamos, por isso nao tem problema quanto a lua de mel. Papel higiencio tem sim, pode vir pra ca sossegado. Tem laguns internets cafe por aqui, nada muito perto enm muito barato, por isso so acessamos de vez em quando. Tambem nao seria muito saudavel vir pra um lugar rodeado de mar e montanhas e ficar dentro de uma sala de computador, nao eh? POrtugues eh a lingua oficial, ams ecxistem outras linguas e dialetos falados por aqui. Da pra se virar com portugues, mas ja estamos aprendendo tetun.